Reminiscências

I

Pra quem não sabe ainda, o que deve ser todo mundo porque não tenho lembrança de ter me manifestado a esse respeito, eu estou fazendo um curso preparatório para concursos na área trabalhista, mais especificamente para magistratura e MPT. O curso é ótimo, os professores são maravilhosos e estou meio passada de admitir que aprendi bem pouco nos meus nem tão saudosos cinco anos de Academia.

Nesse curso, eu estou tendo a oportunidade de estudar com uma professora que eu tive na graduação que eu adorava, e foi com ela que eu conversei hoje, tipo coleguinha de sala, e eu vi que ela é mesmo tão legal quanto eu achei que ela fosse.

II

Tem coisa que me irrita. E eu sou uma pessoa fácil de conviver, tenho até lá as minhas crises existenciais, mas no geral eu me visto sempre de bandeira branca, a vida em sociedade no que me diz respeito, tá, via de regra, exigindo que eu saiba conviver. E isso eu sei fazer.

De qualquer modo, guardo no peito me matando por dentro dois esculachos que eu não dei. O primeiro eu não dei porque, na ocasião, estava assaz interessada numa cobertura no Céu, porque só isso mesmo justifica uma estultice dessas. Mas, se eu não falei na hora, o câncer que me dá na garganta cada vez que eu lembro me dá uma sensação de impotência, mas já tá feito, mas se for pra voltar no tempo eu prometo que eu digo.

Não tolero mais, e isso eu devo a pessoa certa e determinada, a capacidade alheia de se meter na minha vida. É aquela de notar que você tá com uma espinha na cara, engordou dois quilos, é vesga, o escambau a quatro. E ainda se reservam o direito de falar besteira, pra não dizer nada mais fétido. Interessa a quem que você tem 35 anos e não se casou? A quem interessa que eu engordei? Por que interessa a alguém que o meu pai passou 13 anos com um Fusca?Qual a legitimidade que você tem pra me dizer que se eu estou agindo como quem tem um problema, certamente é por estar preocupadíssima com o seu namoro recente com o meu amigo? Dá vontade de mandar ver o filme do Pelé.

Um dia desses, a minha tia me disse que eu estou muito gorda e, continuando assim, estarei fortemente assemelhada a uma pamonha mal amarrada. E isso foi a gota dágua, respondi prontamente que sim, engordei. E estava terminando o curso superior, tinha um namorado lindo, ambição na vida que não envolve um casamento com um maxo que é comerciante porque tinha uma bodega e quando faltava só um ano pra se aposentar, virou contribuinte da previdência de um salário só, e tem uma miséria de rendimento pra sustentar os três filhos vagabundos.

E nem é da minha natureza ser assim estúpida, mas vai chupar prego até virar parafuso, caramba. O que me lembra o esporro que eu não dei em outro Zé. E esse mais Zé do que qualquer outro Zé. Um bem Ninguém mesmo. E a história nem cumpre lembrar. Cada vez que eu lembro do que eu não disse me dá urticária de novo. Pra esse a melhor resposta é eu ser feliz. E ser feliz do jeito que eu sou, estudando pra conseguir o que eu quero, aprendendo a ter gente perto, sorrindo muito e continuando com as minhas referências “vazias” sobre tudo, porque eu sou assim. E me sinto mais mulher. Meu passo, querendo ou não, tá mais firmado e minhas afirmações mais categóricas.

E isso eu nem entro em sede de comissão de formatura atuando contra os interesses da turma, querendo ter menos trabalho em vez de qualidade. Me irrita. Me desgasta. E quanto mais curta a paciencia mais fácil eu estourar e começar a berrar impressões, opiniões, e, principalmentes, verdades que eu sei desde muito tempo e a praxe da convivencia harmoniosa não me deixou externar. Mas e daí? Eu devo????

Até pintei as unhas de vermelho pela primeira vez na vida. Porque eu posso. E isso me basta.

4 ideias sobre “Reminiscências

  1. fico mó feliz em saber que vc caminha cada vez mais firme, seus passos começam a marcar o chão, tem um namorado lindo e o melhor de tudo: não se importa com o que falam as pessoas!

  2. O q tem de gente q ker se preocupar com a vida dos outros no mundo não tem tamanho. Acho q vc não fez nada de errado não – melhor do q ficar se remoendo de ódio. E pelo menos assim vc não só mostra mas tbm reafirma a sua auto-estima. Abs!

  3. Não tem que baixa a cabeça não… concordo com as opiniões da geral… mas posso só observar uma coisa?! Sempre te imaginei como uma pessoa que sabe falar em entrelinhas… sempre achei melhor deixar as coisas no ar… e acho que essa é mais a tua cara…

    BEijos
    MEder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *