50 coisas não tão legais sobre a Anna e mais 77 de bônus

Publicado em Sobre Ela

1. Uma das razões dela nunca ter tido uma festa surpresa é porque é praticamente impossível esconder alguma coisa dela;
2. É difícil ela se apegar, mas quando acontece é sincero, profundo e bonito de ver.
3. Ela dá direito a 2 strikes, no terceiro a pessoa tá fora. Mas eu tenho uns 32 e ela só contou um porque eu sou lindo.
4. A melhor psicóloga não licenciada que existe.
5. Ela tem cheiro de conforto, de casa, de tranquilidade. Deve ser a lavanda Johnson.
6. Ela tem preconceito com gente que da desculpa pra ser nada na vida.
7. Ondas morenas.
8. A festa de aniversário de um ano dela tinha um parquinho de palito de picolé que ela sempre quis brincar depois e a mãe dela nunca deixou.
9. Ela gosta de ler a scientific american
10. Ela dá um braço pelos amigos dela e eles nem sempre merecem
11. Ela não gosta e não é de tá adulando.
12. Ela não sabe bajular.
13. Não importa o que ela diga, o bolo de chocolate com calda de café que ela faz é o melhor do mundo.
14. Se ela fizer, até miojo é banquete.
15. Ela sorri com os olhos.
16. Ela não sabe dizer travas línguas.
17. Ela tá nos meus pensamentos pelo menos umas três vezes por dia
18. Ela cuida de mim de longe.
19. Quando o meu avô morreu, me mandou cuidar dela.
20. A minha filha se chama Anna por causa dela.
21. Ela gosta do John Cusack.
22. Quer um cachorro chamado Rhett.
23. Risada sonora.
24. Ela se balança como uma autista quando tá nervosa.
25. Ela gosta de cachorros feios.
26. Ela gosta de gato preto.
27. Ela tem medo de bonecas.
28. Tá triste porque o flamboyant que ela plantou tá morrendo por falta de lugar pra colocar ele.
29. Ela sabe quando os amigos estão mentindo.
30. Ela não questiona os amigos que estão mentindo.
31. Ela odeia vagem.
32. Ela adora fruta.
33. Odeia goiabas.
34. Tem um sinalzinho no nariz que ela coça quando tá com saudade da mãe
35. Ela se preocupa com as pessoas. Mesmo.
36. Coca cola free.
37. Mania de esmaltes.
38. Cabe num batom vermelho.
39. Ela é mais madura do que eu.
40. Eu sei que o #39 é verdade porque ela nunca fica chateada quando eu venço ela em top gear e eu faço isso sempre.
41. Quer fazer as coisas sozinha, pelo esforço próprio.
42. O olho dela brilha e ela fica profundamente encabulada, mas feliz, embora não confesse, se alguém a chama de escritora.
43. Quando ela diz que não gosta, não é uma crítica a você que gosta. Se você entende assim você é um idiota e não sabe falar com ela.
44. Aquelas unhas lindas nunca foram roídas.
45. Péssima massagista, mão suave demais.
46. Nunca passou da segunda fase de Mario.
47. Conversa franca e direta. Se não aguenta, não comece.
48. Não pergunte se você não quer saber.
49. Vinho branco a tinto.
50. Foi a primeira pessoa que eu conheci que realmente assiste Discovery Channel. A segunda foi a minha filha Anna que viu com ela e não parou mais.
51. O fato dela assistir Discovery não exclui o E! da grade de programação.
52. Ela entende quadros renascentistas.
53. Não dorme em filme inglês.
54. Anda num caso de amor com o cinema espanhol e indiano.
55. Passou exatas duas horas e quarenta relacionando um filme chamando Eklavya com Shakespeare e apontado pontas soltas em Rei Lear.
56. Quando ela acabou, eu assisti o filme e li o livro. Ela tava certa, de novo.
57. Nutella.
58. Dindim de biscoito e frutas.
59. Garrafa de água sempre por perto.
60. Bandas esquisitas que ela sorri por ninguém conhecer.
61. Ela chorou tanto no final de Toy Story 3 que quando acabou foi brincar com os brinquedos do Mac Lanche Feliz.
62. Ela compra só os brinquedos do mac lanche feliz.
63. Não sabe não responder a perguntas diretas
64. É uma pessoa delicada, mas não pense que você vai escapar de patada se precisar de uma.
65. Olhos pequenos, sorriso enorme.
66. É uma pessoa quietinha.
67. Se ela começar a te achar idiota, você meio que morre pra ela.
68. Barra de fruta, não de cereal.
69. Adora granola de cacau natural.
70. Skittles.
71. Sorvete de limão.
72. E o vento levou…
73. Troca qualquer refeição por uma melancia.
74. Não tem necessidade nenhuma de aparecer.
75. É boa modelo.
76. Não gosta que lhe toquem o umbigo.
77. Quando tá com gastura, sente como se os dentes fossem cair.
78. Sonha repetidas vezes com a gara dela que morreu, Florentina.
79. Colocou o nome de Eufeidolócio num pobre gato inocente.
80. Gosta de bichos estranhos e não convencionais.
81. Quer comprar Skittles no ebay.
82. Tem um quadro bastante legal na parede.
83. Canta e dança sozinha quando acha que ninguém está olhando.
84. Leu mais livros do que eu.
85. Leu mais livros que você.
86. Gosta de filmes de carro e tiro.
87. O melhor beijinho de aniversário do mundo.
88. Considera uma ofensa pessoal o fato de o doce dentro do pacote de beijo de aniversário ser bala de coco ou qualquer outra coisa que não seja beijinho caseiro. Eu também.
89. É aquela amiga pra QUALQUER hora e situação. Mas seja cuidadoso quando for acorda-la.
90. Ela perde absolutamente em todos os jogos. Menos em mortal kombat e street fighter, mas não pergunte como ela dá os golpes. Ela não sabe.
91. Pensa cantarolando baixinho.
92. Ela é engraçada.
93. Ótima companhia pra mesa de bar
94. E é boa carona.
95. Dorme lindo em música clássica.
96. É uma garota do Sinatra.
97. É uma pessoa discreta.
98. Ela não gosta de sonho de valsa.
99. Ela é incomum.
100. Gosta de margaridas porque são simpáticas.
101. É atenciosa a ponto de comprar toddynho pra dar de presente de aniversário.
102. É sensível pra perceber que eu preciso de um abraço mesmo que eu esteja um oceano e uns países longe.
103. Ainda mostra a língua.
104. Fica feliz como eu quando ganho dinheiro quando acha uma música ótima de qualquer banda obscura.
105. Canecas de leite com nescau.
106. Não gosta das coisas doces demais, mas adora um doce.
107. Se aborrece quando quer fazer uma coisa e já esta fazendo e a mãe dela manda ela fazer o que ela já tá fazendo.
108. Genuinamente feliz durante um banho numa chuva torrencial.
109. Não reclama da gripe se a contrair quando tomou banho na chuva torrencial
110. Boa de ouvido.
111. Boa de conversa.
112. Péssima no par ou impar.
113. Não é boa com subtrações.
114. Ótima com somas.
115. Chama aquele professor engraçado de Detetive de Freakazoide
116. Compradora compulsiva de hidratante labial,e acho que é daí que vem aquele sorriso bonito que não cabe mais dente.
117. A risada histérica mais estranha do mundo.
118. Ficar doente quer dizer desenho animado e filmes de sessão da tarde mesmo que sem sessão da tarde.
119. Melhor arroz a grega fora da Grécia que eu já comi.Melhor panqueca americana fora da America também.
120. Cada arroz a grega que ela faz é único porque ela nunca faz do mesmo jeito. Vai no feeling. Mas vai na fé que tudo dá certo.
121. Mentos, MMs, Twix, 7 belo. E um monte de sorriso sincero e amizade verdadeira ou até você conseguir o terceiro stricke
122. Ela sabe fazer três bolas de uma vez com o chiclete. Uma dentro da outra. E é uma coisa que eu tenho muita inveja mesmo.

Por Daniel Barcellos, aquele querido.

Interlúdio

Publicado em Idiossincrasias

Choveu pra caramba ontem, eu fiquei pensando que eu queria ter a tarde livre pra terminar de ler meu livro de mulherzinha do Clube do Livro deitada na minha rede tomando chocolate quente (leite com nescau) no meu vestidinho de flores e fitas retrô e com uma musiquinha feliz de fundo. Não deu, eu tive que ir trabalhar. Mas a minha cabeça tem um sensor de chuva, fica prestando atenção no som das gotas caindo. Enquanto eu trabalho.
Eu tive a sensação maravilhosa de ajudar alguém por só estar lá com a pessoa e fazer uma consulta com resultados positivos e por alguns instantes mágicos toda aquela repartição pública impessoal se coloriu de alegria e realização quando o cliente deu soquinhos no ar. Às vezes o ambiente não permite que você abrace outra pessoa num arroubo de alegria, dê um soquinho no ar. Comemore assim mesmo. Eu queria ter um pinguim. Tinha um palhaço andando de bicicleta na rua ontem. Cena meio triste, maquiagem borrada, peruca molhada, fazia propaganda de alguma empresa local. A cena do palhaço decrépito me fez mais feliz. Continuo com medo deles. Meu flamboyant precisa de um lar. Ganhei uma bolsa de estudos pro curso da OAB do FMB e to feliz, mesmo eu já tendo passado na OAB. Meus dentes estão imprestáveis depois de tanta cajarana.
Terminei a tarde tomando uma chuva com o meu chefe sócio, que desde antes de tudo isso, era meu amigo e será. Mesmo ele querendo que eu cobre as pessoas, atividade para a qual eu realmente não sirvo. Foi uma semana de repensar algumas coisas, de descobertas estranhas e de ficar muito mulherzinha. Tenho tido muita saudade de uns amigos e uns hábitos, tenho ficado muito quieta, tenho tido surpresas que seria melhor sem elas. Mas o meu balanço é positivo. A Liz Taylor morreu e nem vi Cleópatra. Mais tarde quero rever Gata em Teto de Zinco Quente. Comecei a correr. De novo. Tô com saudade de ter um gato. Queria que a minha cachorra se civilizasse. Não vejo a hora de ter meu jardim. Queria que chovesse hoje de novo.
Ganhei um vestido novo. Vou arrumar meu quarto. E eu cansei de ser interpretada para o mal. Cansei mesmo. De tanto me cansar disso antigamente, comecei a falar muito diretamente. Daí que a culpa não é minha se virou cult saber ler entrelinha. E entrelinha é aquela coisa que só fica interessante se for com saliência. Sexys ou más. Eu sou do tempo que Merthiolate ardia e He-Man era o cara e as crianças eram tratadas com o respeito de pequenos seres pensantes por Beakman. Hoje é como uma vasta legião de pequenos descerebrados por um dinossauro cantor chamado Barney. Queria me mudar daqui. Quero mudar a decoração do meu quarto. Eu amo muito a minha mãe. Adoro o meu irmão chato e é legal ver como ele tá diferente.
De mais a mais, eu tô só pensando que eu queria dinheiro pra ter uma festa de aniversário bem ótima com temas que tenham bem a ver comigo. E se seria muita tolice gastar meus vencimentos comprando Skittles no ebay.

Dos novos amigos, o mais lindo, Sarapateo.

Publicado em Idiossincrasias

De todo mundo que eu conheci ano passado, claro que eu gostei mais de uns do que de outros, mas de Teo, eu gostei pra sempre quando ele me disse o nome. Aquela pessoa que eu gosto de cara, de graça, de verdade, pra sempre, amor que não se pede, amor que não se mede, que não se repete, num tempo em que eu gosto cada vez menos e de menos pessoas. Num tempo em que eu me pego pensando e tentando lembrar razões de eu manter relacionamentos com a pessoa enquanto ela me diz a quanto tempo não me vê e que está com saudades minhas. E Teo é o mais lindo. Conheçam essa deliciosessência morena, máscula, viril, de costas largas e barba. que atende pela alcunha Sarapateo. Lindo, tesão, bonito e gostosão.

Teo chegou junto com o grande retorno triunfal da minha amizade com Matheus e eu posso dizer que ele foi um dos meus maiores presentes do ano passado. Eu estava mais solitário que um paulistano, mais sem graça que a top model magrela da passarela, e aí eles levaram a senhora não bebo pra a cachaçaria e me deram um porre de Gabi. E pronto. Aquele Grupo que você sabe que pertence na primeira vez que encontra. Teo me deu um porre, que nem posso chamar de porre, já que nem bêbada eu fiquei, mas foi um dos maiores da vida. E foi uma das noites mais perfeitas que eu já tive e da qual todos nós nos lembramos sempre. E que todo sábado a gente sai procurando um remember dela. E ele é o mais lindo.

Foi com Teo que me vi coreografando a Madonna e os Backstreet Boys dentro do carro, que eu amanheci o dia no posto de gasolina meio alta querendo roubar o cone, com ele comendo fandangos e eu dizendo que tava gorda e ele me perguntando se eu tava louca, porque eu sou linda. Linda. LINDA. Lindo é ele nas festas high society dizendo que quem juntou o ‘peti’ com o ‘gatô’ é um gênio. Lindo é ele com medo de filme de terror. E fazendo aquela dancinha com Matheus. Daí em diante, foi com ele que eu fui tentar o suicídio passivo num rodízio de pastel, era quem eu encontrava quando saía do inglês, com quem eu desabafava os problemas que a minha cabeça cria. E ele é melhor do que queijo assado.

Teo é aquele amigo que pra fazer feliz eu faço Thassio parar no posto de Gasolina antes de ir pra Matheus assistir o jogo do Brasil pra comprar Heineken mesmo nem de cerveja eu gostando. É aquela voz meio bêbada no telefone que faz falta, aquele riso que – exatamente como o meu – se treme e sacode inteiro. Aquele que faz até Katy Perry deixar de ser brega e virar cool só porque é engraçado cantar bêbado no carro. É com ele que eu ando falando sobre as coisas com quem eu não falo com ninguém. É aquele que a saudade é tanta que me faz ficar vendo o twitter dele porque tem hora que dói pacas não ouvi-lo falando naquela mesa da cachaçaria. E ele é a pessoa mais linda do mundo inteiro pra mim. É o melhor abraço do mundo.

E eu me preocupo com ele comendo qualquer coisa lá em Natal, se já deixou de vez os cup noodles sabor fezes, se ele perdeu a dignidade e tá fazendo que nem Matheus e Herbenia e caindo de boca nos Hot Pockets de lixo. E fico ensinando receitas pra ele pelo messiene pra ver se eu consigo ajudar. Sou eu pesquisando sobre hipertensão e querendo, só querendo já que nunca deu certo, cozinhar pra ele. Ser amigo é se importar. E Teo é aquela pessoa que eu gosto tanto que violo sempre a minha regra de não me envolver, e os desafetos de Teo são meus. E nem é tanto por essa regra, mas é que a gente não gosta das mesmas coisas em pessoas mesmo. Foi o primeiro amigo pra quem eu contei do emprego.

Ele sabe que o Senhor sonda ele. Eu o ensinei a fazer panquecas americanas. No dia em que eu conheci, ele tava tão bêbado que ficou pedindo pra Deus entrar na casa e na vida dele e curar todas as feridas. Ele não gosta quando ficam discutindo centavos na hora de pagar a conta. Ele reza pra que Deus dê paciência, já que não dá dinheiro. Ele é uma pessoa muito correta. Ele é Fã do Cazuuuza meooo. Quando forem escrever o livro sobre seus grandes feitos, hão de incluir a vez em que ele arrancou um funrúnculo usando uma tesourinha sem ponta. Ele não gosta de ir onde não tem campanhia porque bater palma é coisa de vó, sem contar que é muito ridículo a pessoa parada na rua aplaudindo uma parede. Só ele entende o porquê do cara do Molejo precisar de uma corda e uma caçamba pra fazer samba. É uma saudade que não alivia, diminui e nem passa.

Daquela noite de sábado até hoje, só existia sábado se eu encontrasse com ele, e qualquer dia da semana em que eu esteja, será sábado se eu o vir. Daí ele se mudou pra Natal e nunca mais eu tive um sábado.

EDIT: E é uma coisa de maravilhoso vê-lo falando, cuidando, amando a mãe dele. Que é uma coisa de ótima também.

Update: E temos que o meu pai é amigo da vida inteira da família dele. Olhaí os herdeiros da 12 Anos se juntando pelo acaso.

Dos novos amigos, Thassio

Publicado em Idiossincrasias


Na ordem que eu tinha pensado, esse texto não vinha agora. Agora seria o de Teo, mas eu não sei escrever sobre Teo ainda, então eu vou falar sobre Thassio, dada a semana, eu não podia falar de mais ninguém hoje, essa foi a semana dele. Eu sei que a proposta da série é falar sobre os novos amigos e eu conheço Thassio desde quando ir pra faculdade era bom. Então faz tempo pra caramba. Thassio era o cara mais bonito do ônibus para a minha amiga fresca e eu fui a portadora da missão de ficar amiga dele pra apresentar pra ela.

Quando eu conheci Thassio, ele andava de ônibus, tinha cabelo grande, não combinava o cinto com o sapato e apesar do que ele diga, já vi mais de uma vez de cabelo bagunçado. E eu levei mais ou menos 30 segundos pra gostar dele. Thassio é aquele cara legal, sensível, gente boa pra caramba que me faz chorar com twits tristes. Seja em razão de eu ser uma manteiga derretida, seja por me preocupar com ele.

E ele é uma boa companhia pra ir pro cinema ver filme de terror, é pra quem eu ligo em raivas em que nada no mundo resolve, mas ele vem me buscar e alivia e é com quem eu fico conversando horas dentro do carro com o ar condicionado ligado pra ver se a vida da gente anda. Aquela conversa que eu e ele precisávamos. Aquela conversa importante. É pra quem eu falo que talvez eu não queira mais o blog, é pra quem eu falo que eu sendo ele, bonito solteiro e desempedido ia sair arriscando a moral das filhas alheias por aí. Mas Thassio é aquele cara que você quer levar em casa pra mostrar pra a sua mãe, ele não me escuta nisso.

Ele disse que levaram os sonhos dele embora, eu disse que isso era bom porque ele pode sonhar qualquer coisa. E quando qualquer coisa é possível, é bem difícil a pessoa se contentar com coisa pouca. Eu disse que gosto de ver ele bem, que eu gosto de quando ele ri, mesmo aquele riso sem graça de quem não tá com vontade. Disse que ele me fez chorar até dormir. Ele disse que ficou feliz com isso e que eu sou dramática. Eu não disse que fico puta da vida quando eu sei que ele tá triste por não enxergar uma verdade simples sobre ele mesmo. Não disse que ele fica mais bonito feliz do que triste. Não disse que eu fiquei feliz de ver que ele também escuta Doves. Eu nem mencionei que ele é pontual e não me irrita.

Mas, nesse tempo todo, eu acho que ele sabe. E não sei se ele se incomoda quando eu me preocupo com ele e perco a mão, acontece do meu querer bem ser bruto, mas eu acho que ele sabe que eu tô agindo no desespero. Quase tudo para ver meus amigos bem.

O que eu não disse essa semana, mas que eu preciso dizer agora, é que essa semana, ele foi o meu wonderwall particular e que eu vou sentir tanta falta dele quando ele for pra Europa que eu vou inclui-lo no meu roteiro.

Em tempo: eu ouvi essa música e lembrei de Thassio. Closing time, time for you to go out to the places you will be from and every new beginning comes from some other beginning’s end