Crise nas Americanas.com, Correios, Redes sociais

Acho difícil existir coisa que me incomode tanto quanto comprar alguma coisa online e a coisa não chegar, tá, mentira, um monte de coisas me incomoda tanto quanto ou mais, mas hoje eu estou aborrecida com isso. Comprei esses dias um box de livros da Agatha Christie e Alta Fidelidade, do Nick Hornby nas Americanas (estão em crise?) e eram pra ter sido entregues ontem. Não foram. E então eu liguei pras Americanas, mandei email, liguei de novo, mandei outro email. 
Esperei quase três horas com o pescoço torto aguardando falar com um atendente ouvindo uma mensagem dizendo que a minha compra é importante pras Americanas e que logo estaria sendo transferida. Não fui. A ligação sempre cai. Desconfio que nenhuma empresa de porte como essa teria um SAC tão ruim assim por incompetência, não é? (ver o Droider )
Então eu, que cresci assistindo televisão e estou sempre querendo uma boa teoria da conspiração, acabei achando que um descaso desse tamanho tinha uma razão de ser. Ou a repetição da mensagem é uma coisa proposital pra fazer uma lavagem cerebral e diminuir minha frustração de além de não receber minha compra ainda não ser atendida por nenhum meio em que tentei (já que atendente virtual é uma coisa que NÃO SERVE PRA NADA DIFERENTE DE IRRITAR O CLIENTE e ninguém respondeu meus emails ou formulários do site) ou não tinha atendente mesmo pra receber minha ligação e resolver o meu problema, o que é quase confortante, já que explicaria a razão de eu não ter sido nem respondida e nem ter recebido meus livros.
Eu já comprei antes nas Americanas.com, diversas vezes. Sempre recebi a encomenda no prazo, em ótimas condições e essa é a primeira vez que eu tenho problemas com a loja. E é chato. É chato pra caramba. E eu quero meus livros. “Ah Anna, o Correio está em greve”. E eu com isso? Minhas contas continuam chegando no prazo. E desde quando correio está em greve é problema meu? Se você jogar “transportadora” no Google vão abrir milhões de páginas de resultados com uma infinidade de empresas que fariam a entrega. E das compras que eu costumo fazer, quase nenhuma chega pela ECT. E eu nem sei como é que isso funciona direito, posso estar conversando besteira aqui.
A única que chegou esse ano foi um livro que comprei em pré-venda e quando veio, veio por SEDEX. E chegou inteiro. 24h depois de enviado. Não tenho um histórico de fúria com os correios e sei de gente que tem, mas eu mesma nunca tive. Espero nunca ter, porque é muito chato. Mas também cresci ouvindo que existe uma manobra do governo pra quebrar os Correios e abrir tudo pro capital privado. Não sei se procede, deve proceder, já que agora todo mundo taca pedra no correio sem dó.
 Até twittei que as Americanas não tinha entregado meu pedido e veio bem mais de um reply dizendo que a culpa é dos correios. E assim, manifestações violentas. Gente, oi? Eles estão em greve. Quer dizer que eles não tem condição de trabalhar do jeito que a coisa tá. E greve no Brasil é visto como coisa de quem não quer trabalhar. E essa é uma das razões do país não ir pra frente. Greve é uma coisa que você faz pra poder trabalhar melhor. Sejam quais forem as razões. O fim é sempre esse. Então, como é que um setor profissional é apoiado e outro não? Greve é greve, oras. 
Escuto também pessoal reclamando que as encomendas não registradas estão sendo abertas e roubadas. Aí é desonestidade e malandragem e é outra coisa. O nome disso é crime. É caso de polícia. Alguém tem que denunciar. É diferente da greve. O chato é que o crime corta o poder da greve. Em vez do apoio a população acaba se irritando porque é afetada (e tem que ser porque se a população não sentir a falta do serviço é porque ele não serve pra nada e a greve é inútil também) e acaba relacionando a greve, que normalmente é justa, com as encomendas roubadas e fica xingando muito no twitter, que é o portal internacional da reclamação. 
E é bom, porque as redes sociais finalmente tem uma utilidade maior do que saber que fulano está namorando, solteiro, mandar indiretas e  coisas assim. É bom que também seja capaz de mobilizar pessoas por causas sociais mais válidas. Vi muitas campanhas ganharem voz e corpo no twitter e ajudar muita gente esse ano, é louvável. Tem de tudo na internet, e tudo ganha uma amplificação muito maior do que teria, é a beleza da coisa. 

Esse ano eu já ajudei amigos a conseguirem doadores de sangue, agasalhos, dinheiro, alimentos, tudo com fins específicos e com sucesso. Eu me alegro que nem tudo lá seja a culinária exótica que ganhou vez essa semana. E Americanas.com, vamos entregar o meu pedido, né?

2 ideias sobre “Crise nas Americanas.com, Correios, Redes sociais

  1. Como vc diz que greve não tem nada a ver com vc e depois vc a explica tão lindamente? Claro que tem a ver! Tem a ver com vc, comigo, com o vizinho, com os irresponsáveis, os corruptos e TODOS OS TRABALHADORES. E no Brasil é assim: vc se incomoda e desconta na extremidade menos favorecida do processo trabalhista. Sempre assim.
    Não tenho conselhos pra te dar enquanto essa onda não passar, o único que eu posso dizer é “aguente o faniquito e não compre nada por enquanto”. Só. E reclamemos. Já que é o que o twitter nos permite rsrs
    Bjos

  2. Mulher, deixe de drama. Eu to dizendo que a greve não tem nada a ver com a minha compra.
    Até pq as empresas usam transportadoras e não contam, ou não deveriam contar com um negócio em greve pra manter o seu bom nome no mercado.
    Se eu sou empresa, o meu cliente não tem nada a ver com o correio em greve pra ele receber o que tá comprando. entendeu?
    Principalmente se eu estabeleço prazos pra a encomenda dele chegar em casa.
    Vamo parar com o marxismo pq ne? não cabe aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *